Análise de Imprensa – Novembro 2019

Novembro ficou marcado pela divulgação de muitos estudos sobre as desigualdades na educação brasileira e o ENEM teve um grande destaque.

 

ENEM 2019

As provas do ENEM foram aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro e a grande repercussão ficou por conta do tema da redação: “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”, que surpreendeu alunos e profissionais da educação, segundo o UOL. A Folha destacou que desde 2009, esse é o primeiro ano que a prova não aborda ditaduras militares.

Jair Bolsonaro afirmou em um evento que ocorreu em Goiânia/GO que gostaria que a prova tivesse questões que reconheçam a família e valor do Estado brasileiro, mas sem ideologia política ou de gênero, conforme noticiou o Estadão.

 

Evasão Escolar

Segundo a Folha, a Síntese de indicadores do IBGE indicou que o abandono escolar entre os jovens de 15 a 17 anos é  oito vezes maior entre os mais pobres.  O Valor afirmou que o Brasil terá que enfrentar um longo caminho depois de universalizar o ensino, pois será necessário atrair o jovem para a escola e diminuir a evasão escolar para, consequentemente, incluí-los no mercado de trabalho.

 

Alunos reprovados no Brasil

Segundo o G1, pesquisa feita pela Unicef, aponta que o número de alunos negros reprovados nas escolas do Brasil é duas vezes maior que o de alunos brancos. O UOL abordou que a reprovação é mais comum se o aluno for do sexo masculino, estudar na zona rural ou se tiver alguma deficiência.

 

Negros são maioria nas universidades públicas brasileiras

Em matéria, O Globo abordou os dados do estudo Desigualdades Sociais por Cor ou Raça, divulgado pelo IBGE, que aponta que em 2018, pela primeira vez, a maioria dos inscritos nas instituições de ensino superior da rede pública, são estudantes negros. Em entrevista ao Estadão, Frei David Santos, da ONG Educafro, afirma que os dados merecem ser comemorados, mas “o outro lado da moeda são as fraudes que podem estar inflando esses números: pessoas brancas que se declaram negras para conseguir entrar por cotas”.

 

Além dos destaques acima, outro tema relevante foi pauta da imprensa nacional, confira:

 

Incentivo ao ensino médio em tempo integral

O Ministério da Educação anunciou que vai repassar a 18 estados mais de R$ 118 milhões para incentivar o ensino médio em tempo integral. Segundo O Globo, os recursos são do FNDE, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, e devem ser usados em obras, compra de equipamentos e pagamento de despesas, como energia elétrica e água. As instituições de ensino que receberão a verba têm uma carga horária superior a 35 horas semanais, ou sete horas diárias, segundo a Agência Brasil.