Análise de Imprensa - Abril 2019

Troca do ministro da educação, problemas com a gráfica do ENEM e temática ideológica foram os destaques de abril na imprensa nacional.

O mês começou com especialistas em educação criticando fortemente o agora ex-ministro Ricardo Vélez Rodrigues. Entre eles, Priscila Cruz do Todos pela Educação falou para o Valor Econômico e Mozart Neves Ramos foi ao Roda Viva da TV Cultura.

 

Novo Ministro Abraham Weintraub

O novo Ministro da Educação Abraham Weintraub já acumula críticas de diversas áreas da educação e diversos veículos da imprensa.  A principal crítica ao novo Ministro da Educação, empossado dia 09.04, diz respeito a sua inexperiência com assuntos relacionados com educação e à montagem da nova equipe do MEC, também formada por profissionais de outras áreas.

A Folha de S.Paulo abordou a preocupação dos especialistas com a nomeação de Weintraub. Já o jornal O Globo trouxe o discurso de posse, com afirmações sobre direcionamento da pasta e demissões de quem não estiver de acordo com sua gestão. E o Estadão trouxe uma entrevista com o ministro.

 

Aprovação da lei de Educação Domiciliar

O presidente Jair Bolsonaro aprovou o projeto de lei que institui a educação domiciliar, que era uma das metas de seus primeiros 100 dias. No G1 especialistas disseram que a medida pode prejudicar a formação integral de crianças e jovens e ser ainda uma abertura para a criação de mercado de material didático, videoaulas e tutores privados. O portal UOL trouxe a visão de parte dos integrantes da Frente Parlamentar Mista: “Proposta é elitista, insignificante e isolacionista”.

 

ENEM

A gráfica que imprimia o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) decretou falência, colocando em risco o cronograma de preparação e aplicação da prova em todo o país, como divulgou o G1.

A Folha trouxe um histórico das licitações e problemas que aconteceram nos últimos 10 anos de prova. O Globo trouxe um breve resumo do acontecimento e destaque para a concorrência da impressão desse ano.

 

INEP

A crise no ENEM aconteceu em um momento que o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) estava sem presidente. Logo após o anúncio de falência da gráfica, o presidente escolheu o presidente do Instituto. A Folha trouxe a surpresa dos próprios servidores do INEP com a nomeação. Outros veículos também deram a notícia, como o Estadão e o jornal O Globo.

 

Investimento em Ciências Humanas

O presidente junto com o ministro da Educação anunciou que o MEC estuda reduzir investimento em faculdades de filosofia e ciências sociais porque o objetivo é “focar em áreas que gerem retorno imediato ao contribuinte como: veterinária, engenharia e medicina”. A reação dos meios acadêmicos foi forte, com posicionamentos de entidades das áreas de Filosofia, Ciência Política e Sociologia. Grandes veículos da imprensa reverberaram a notícia com destaque, como o O Estado de Minas e O portal Uol deu destaque a transmissão online do comunicado.

 

Além dos destaques acima, outros temas relevantes foram pauta da imprensa nacional, confira

 

Custo de demissões do MEC

Ainda no início do mês a imprensa noticiou o auxílio a demitidos e contratados no gabinete de Ricardo Vélez Rodríguez que custou até o início do mês de abril R$ 171 mil em pagamentos de ajuda de custo a dez exonerações. Muitos dos demitidos, a maior parte indicados por Olavo de Carvalho, foram abrigados na Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto, responsável pela TV Escola, que recebeu no ano passado R$ 92,6 milhões para produzir e veicular conteúdos audiovisuais, com o objetivo de melhorar práticas pedagógicas de professores. A Folha trouxe o olhar para o alto custo das demissões em tão pouco tempo e o O Globo (conteúdo apenas para assinantes) abordou o remanejamento para a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto.

 

Lançamento da Frente Parlamentar Mista da Educação

Lançada dia 10 de abril, o objetivo da Frente é defender que as políticas públicas da área sejam direcionadas para melhorar a qualidade do ensino e que se apoiem em evidências do que já funciona no Brasil e no mundo. O Estadão e a Agência Brasil trouxeram destaque para os temas que mais preocupam a Frente, como Fundeb, BNCC (Base Nacional Curricular Comum), ENEM e alfabetização entre outros temas.

 

Violência nas escolas

Metade dos diretores escolares brasileiros dizem que alunos agridem funcionários da escola. A informação saltou de pesquisa feita por meio dos questionários contextuais que acompanham as avaliações do Saeb 2017 (para saber mais, clique aqui).

O Brasil lidera um ranking de violência nas escolas elaborado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Foram ouvidos mais de 100 mil professores e diretores de escola do ensino fundamental II e do ensino médio. A notícia repercutiu no UOL e na Folha..

 

28 de abril: dia nacional da educação

Colunistas e veículos fizeram matérias especiais no dia nacional da educação.

Bernardo Mello Franco, colunista do O Globo (conteúdo apenas para assinantes) abordou a marcha do obscurantismo. E Renata Cafardo deu destaque para as políticas públicas voltadas para redução das desigualdades de aprendizagem no seu blog no Estadão (conteúdo apenas para assinantes), citou exemplos como Estônia e China. Miriam Leitão no seu blog no O Globo (conteúdo apenas para assinantes) também voltou seu olhar para a educação e o que tem sido feito nesse sentido.

A Agência Brasil trouxe o tema das avaliações nesse importante dia. E o Canal Futura fez uma grande mobilização com o mote Nem1pratrás para mobilizar a sociedade em torno do tema.