Artigo

As demandas conservadoras do movimento Escola Sem Partido e a Base Nacional Curricular Comum

RESUMO

O artigo analisa a participação do movimento Escola sem Partido no processo de construção da Base Nacional Curricular Comum e como as demandas conservadoras do movimento interferem nas negociações políticas nesse processo. Tais interferências permitem o funcionamento de uma normatividade neoliberal, entendida em matriz pós-estrutural. O texto também analisa a segunda versão da Base e as divulgações realizadas pelo Escola sem Partido, a partir do pressuposto de que, no campo político, a disputa é pela relevância de demandas particulares de diferentes grupos.

SOBRE O DOCUMENTO

  • Data de publicação: 06/2017
  • Autor(es): Macedo, Elizabeth
  • Local de publicação: Campinas
  • Instituição(ões) relacionada(s): Centro de Estudos Educação e Sociedade (Editora)
  • Identificadores: ISSN 0101-7330
  • Fonte: https://www.scielo.br/pdf/es/v38n139/1678-4626-es-38-139-00507.pdf
  • Data de Acesso à Fonte: 26/04/2020
  • Suporte: Texto
  • Tipologia: Artigo
  • Tamanho: 18 páginas
  • Tipo Licença: CC BY-NC - Atribuição/NãoComercial

ITENS RELACIONADOS

Composiçao(in)

Educação & Sociedade