Artigo

Currículos decoloniais e outras cartografias para a educação das relações étnico-raciais: desafios político-pedagógicos frente a Lei nº 10.639/2003

RESUMO

Alinhamos as pedagogias sociais tais como se vê nos discursos midiáticos sobre as populações negras com as práticas curriculares vigentes no sistema educacional que no mesmo sentido pouco tem favorecido a emergência de outras movimentações para maior capilaridade no que concerne ao pressuposto que orienta uma educação antirracista indo na contramão dos pressupostos da Lei nº10639/03. Vimos como uma tendência descolonizadora as interseções com espaços de aprendizagem que compõem o entorno das escolas tais como os museus comunitários, terreiros e comunidades quilombolas analisados como ambiências promotoras de novas cartografias. Em diálogo com os pressupostos de Aníbal Quijano (2003) sobre a “colonialidade do poder/saber” entendemos a relevância dessas configurações nos processos de “reaprendizagens”. Apontamos aspectos das insuficiências escolares, outras margens advindas dos espaços não-formais aqui interpretados como ambiências com maiores condições de recomposição epistêmica considerando o “paradigma do sensível” (Sodré, 2012).

SOBRE O DOCUMENTO

  • Data de publicação: 2013
  • Autor(es): Miranda, Claudia
  • Local de publicação: Goiás
  • Instituição(ões) relacionada(s): Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as) (Editora)
  • Identificadores: ISSN 2177-2770
  • Fonte: http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/191/187
  • Data de Acesso à Fonte: 15/03/2020
  • Suporte: Texto
  • Tipologia: Artigo
  • Tamanho: 19 páginas
  • Tipo Licença: Necessita pesquisa